SGB

Cajazeiras, com 61 mil habitantes, segundo dados do IBGE, confirmou três casos da síndrome de Guillain-Barré (SBG – doença neurológica que causa paralisia), com um óbito. A Vigilância Epidemiológica do Município está investigando se há alguma relação da doença com a zika. Esta ligação já está sendo investigada pelo Ministério da Saúde e também tem sido monitorada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), mesmo que, inicialmente, a zika esteja sendo tratada como uma virose que não traz sérios problemas.
A vigilância em Saúde da SES ressaltou que a síndrome não é nova e que há casos registrados na Paraíba, nos últimos anos. Este ano, foram seis ocorrências, com dois óbitos.
No ano passado, Cajazeiras não teve registros da doença, mas a população está sendo orientada a reforçar o combate ao mosquito Aedes Aegypt , transmissor da dengue, zika e chikungunya, e procurar os serviços de saúde, se tiver a mobilidade afetada. Edilma Chiarelli, gerente de Vigilância Epidemiológica e diretora de Saúde de Cajazeiras, disse que a investigação está sendo feita.
“Só a partir daí, podemos concluir se a síndrome esta relacionada a estas doenças ou a uma queda imunológica. Tanto que o tratamento é à base de imunoglobulina. Não podemos dizer se há relação. Ainda requer muitos estudos para termos a certeza. Estamos passando os dados para a Secretaria de Estado da Saúde (SES), mas estamos trabalhando em cima da prevenção de dengue, zika e chikungunya”. Uma paciente teve todos os sintomas de zika, mas não fez exame para confirmar a doença.
Na Paraíba, foram confirmados 11 casos de zika e, por conta da possível relação com a síndrome , os municípios já são orientados a informar à SES os casos de SGB.
SGB
A Sindrome de Guillain-Barré é uma polineuropatia que atinge a parte motora do corpo. O paciente começa a perder os movimentos a partir das pernas e essa sensação pode atingir os membros superiores. A SGB pode deixar sequelas, se não for diagnosticada precocemente, e levar à morte, caso afete o diafragma, levando à insuficiência respiratória e parada cardíaca.

Fonte: correiodaparaiba + Redação