Em visita a Chapecó (SC) após elogiar o tratamento precoce contra a Covid-19 implantado pelo prefeito local, João Rodrigues (PSD), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar nesta quarta-feira (7) medidas de isolamento social e a defender medidas sem eficácia comprovada contra a doença.

“Desde o início [da pandemia] eu digo: temos um problema, o vírus e o desemprego. E as medidas ora anunciadas […] não podem ter efeito colateral mais danoso que o próprio vírus. Eu acho que sou o único líder mundial que apanha isoladamente. O mais fácil é ficar do lado da massa, da grande maioria, se evita problemas, não é acusado de genocida, não sofre ataques por parte de gente que pensa diferente de mim. O nosso inimigo é o vírus, não o presidente, a governadora ou o prefeito”, afirmou.

O presidente Jair Bolsonaro em visita a Chapecó (SC) nesta quarta-feira (7) – Tarla Wolski/Futura Press/Folhapress
Bolsonaro citou a palavra “liberdade” em vários momentos do discurso para criticar medidas de contenção ao vírus e também para defender que os médicos possam prescrever medicamentos sem eficácia contra a Covid-19.

“Quem abre mão de um milímetro de liberdade para ter segurança corre o risco no futuro de não ter segurança nem liberdade”, disse.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: REDAÇÃO + folha