A Justiça de São Paulo autorizou a quebra do sigilo bancário do apóstolo Valdemiro Santiago, fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus, e do atual presidente da entidade, Mateus Machado de Oliveira. Eles são réus em um processo for falta de pagamento de aluguel na cidade de Guararema, no interior paulista, que cobra cerca de R$ 22 mil em aluguéis não pagos pela igreja fundada por Valdemiro.

A decisão sobre a queda de sigilo do pastor foi tomada pela juíza Monica Di Stasi, da 3ª Vara Cível de São Paulo, no último dia 10 de fevereiro, e tem como objetivo investigar se o patrimônio da Igreja Mundial confunde-se com o do fundador.

O proprietário do imóvel de Guararema pretende que o apóstolo e o atual presidente da Igreja Mundial sejam responsabilizados pela dívida não paga pela entidade.

No processo, Mateus Machado e Valdemiro dizem que a dívida é da igreja, e que eles não podem ser atingidos pela cobrança: “Valdemiro Santiago não faz parte do contrato social da igreja e nem assinou o contrato de locação como fiador”, afirmam os advogados do apóstolo, Felipe Palhares e Flávio Nery.

Ao pedir a investigação dos sigilos, o advogado do dono do imóvel, Douglas Dias Marcos, alega, porém, que há “clara conexão e responsabilidade direta” ou “evidente tentativa de fraude e blindagem de patrimônio” de Valdemiro ao tentar se isentar da organização fundada por ele.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: REDAÇÃO + politicajp