O Brasil voltou a registrar mais de mil mortes devido ao novo coronavírus em 24 horas. Nesta terça-feira (12), houve a confirmação de 1.110 novos óbitos devido à doença no país. Isso eleva para 204.690 o total de pessoas que perderam a vida para a Covid-19 desde março do ano passado.

Enquanto familiares e amigos choram a perda de seus entes para a doença, a preocupação do Ministério da Saúde se volta a defender uso de medicamentos não comprovados para tratar a Covid-19. Ela mesma, a cloroquina, da qual o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) faz frequentes defesas.

O ministério passou um “pito” na Prefeitura de Manaus, escrevendo em um ofício que é “inadmissível” o fato de a administração municipal não usar cloroquina e ivermectina, medicamentos sem eficácia comprovada, para tratar os pacientes que contraem o novo coronavírus na cidade.

Novos casos e transmissão

O boletim divulgado nesta terça-feira pelo ministério mostra que foram confirmados novos 64.025 casos de Covid-19 no Brasil nas últimas 24 horas. Com os novos diagnósticos, o total de pessoas infectadas pelo Sars-Cov-2 subiu para 8.195.637.

E o ritmo de infecções não deve cair tão cedo. Isso porque a taxa de transmissão (Rt) do Sars-Cov-2 no país ficou em 1,21 nesta semana, de acordo com os cálculos feitos pelo Imperial College de Londres e divulgado nesta terça-feira (12). Na semana passada, ela tinha ficado em 1,04.

Esse indicador significa que cada 100 pessoas infectadas com Covid-19 a transmitem para outras 121. Ou seja, cada paciente passa a doença para mais de uma pessoa, o que aumenta a propagação do vírus.

No momento, há 717.240 pacientes com a doença ativa no país. E outras 7.273.707 são consideradas oficialmente recuperadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: REDAÇÃO + forum