A OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou que a “opção mais segura” no momento é renunciar às festas de Natal e Ano Novo. A declaração foi feita em entrevista on-line nessa 2ª feira (23.nov.2020) para discutir a situação mundial em relação à pandemia da covid-19.

A líder técnica da OMS para a covid-19, Maria Van Kerkhove, afirmou que “em algumas situações, a difícil decisão de não ter uma reunião familiar é a aposta mais segura”. Ela ainda pediu que se evitem aglomerações.

Os casos de covid-19 estão perto de atingir os 60 milhões em todo o mundo. Eram 1.402.312 mortes pela doença até as 4h30 desta 3ª feira (24.nov), segundo dados do medidor Worldometer. A Europa enfrenta uma 2ª onda da doença e diversos países, como Espanha e França, apertaram as restrições.

O Brasil contabilizava 169.485 mortes por covid-19 e 6.087.608 casos da doença até as 18h dessa 2ª feira (23.nov). Os dados são do Ministério da Saúde.

Durante a entrevista, representantes da OMS comemoraram os resultados da vacina da AstraZeneca/Oxford. Mais cedo, a farmacêutica e a universidade anunciaram que o imunizante tem eficácia de 62% a 90%, dependendo da dosagem aplicada.

A organização saudou os esforços “para tornar a vacina acessível”. Em comunicado (íntegra – 149 KB), a AstraZeneca informou que vai pedir autorização de uso emergencial para poder distribuir o imunizante em países de baixa renda.

A cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, disse que os resultados apresentados são “encorajadores”. “Esperamos ver os dados, como fazemos com outros resultados promissores das últimas semanas”.

Na última semana, a Pfizer divulgou estudos que mostram que sua vacina contra a covid-19, desenvolvida com a BioNTech, tem 95% de eficácia. O imunizante da Moderna tem 94,5%.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: REDAÇÃO + poder360