Estudo feito na Europa mostra que uma nova variante do SARS-CoV-2, o coronavírus causador da covid-19, está se espalhando rapidamente pela Europa. De acordo com os cientistas, a nova cepa, batizada de 20A.EU1, é responsável pela maioria dos casos registrados desde junho.

O estudo (íntegra  – 1 MB) foi feito por pesquisadores das universidades de Basel (Suíça) e de Valencia (Espanha) e publicado na plataforma MedRxiv. Ainda não passou pela revisão de

Segundo os autores, a variante foi identificada pela 1ª vez em junho, na Espanha. Em julho, já era responsável por 40% dos casos no país. Hoje, o percentual chega a 80%. Da Espanha, espalhou-se para vários locais na Europa.

Os pesquisadores dizem que ainda não se sabe se a rápida disseminação “é devido à associação com dados demográficos específicos, propriedades do vírus ou acaso”. “Mas a dinâmica deve ser monitorada cuidadosamente”, lê-se no estudo.

Em setembro, a nova cepa foi responsável por 40% a 70% das infecções registradas em Suíça, Irlanda e Reino Unido. Também prevalece em Noruega, Holanda, França e Letônia. A 20A.EU1 já foi identificada em 12 países europeus, além de Hong Kong e Nova Zelândia.

“Apesar de não haver evidências de que essa variante seja mais perigosa, sua disseminação pode fornecer informações sobre a eficácia de políticas de viagens adotadas pelos países europeus durante o verão”, diz a Universidade de Basel, em comunicado.

Depois de meses de confinamento rigoroso, os países europeus abriram suas fronteiras durante o verão no hemisfério norte. Segundo o estudo, a variante foi dispersa pela Europa por turistas que passaram férias na Espanha.

Com a chegada do outono, a Europa voltou a ver o número de casos aumentar. O continente tem uma média diária de 220 mil novos casos nos últimos 7 dias e ultrapassou a marca de 2.000 mortes diárias. Países como França, Alemanha, Itália e Suíça anunciaram nesta semana medidas mais restritivas para tentar conter a propagação do vírus.

O diretor regional da OMS (Organização Mundial de Saúde), Hans Henri P. Kluge, disse em 15 de outubro que “a evolução da situação epidemiológica na Europa suscita grande preocupação”. “O número de casos diários aumenta, as admissões hospitalares aumentam e a covid-19 é agora a 5ª principal causa de morte”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: REDAÇÃO + poder360