O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB), em operação conjunta com o Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (9), a 5° fase da Operação Calvário. O objetivo desta fase, que investiga desvios de recurso públicos da saúde, é cumprir 28 mandados, sendo três de prisão preventiva e 25 de busca e apreensão em cinco estados.

Entre os alvos de mandado de prisão estão o secretário executivo de turismo da Paraíba, Ivan Burity, o diretor do Hospital Geral de Mamanguape (HGM), Eduardo Simões Coutinho, além de Jardel Aderico da Silva, ex-secretário de Promoção pela Paz do Estado de Alagoas. Os mandados de prisão foram emitidos pelo desembargador-relator Ricardo Vital de Almeida.

Na Paraíba

De acordo com o Gaeco, no Estado, estão sendo cumpridos 13 mandados, sendo 2 de prisão preventiva e 9 de busca e apreensão. Já foram presos Ivan Burity e Eduardo Simões. Entre os de busca e apreensão, um dos alvos é a residência do secretário executivo de Estado da Educação, Aléssio Trindade. Os demais estão sendo cumpridos em escritórios e empresas ligados aos envolvidos.

Ramificações em outros Estados

Simultaneamente, as Polícias cumprem outros mandados sendo quatro no Rio de Janeiro, três em São Paulo, cinco no Paraná e dois em Alagoas.

Sobre a Calvário

A Operação Calvário visa desarticular uma organização criminosa suspeita de corrupção, lavagem de dinheiro e desvio de recursos em contratos firmados com unidades de saúde e educação da Paraíba cujos valores passam de R$ 1 bilhão.

Conforme o MPPB, novas informações devem ser divulgadas ainda nesta quarta após a conclusão da operação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: wscom + REDAÇÃO