Os dois deputados homens e da base aliada do governo do estado em Cajazeiras, Jeová Campos (PSB) e Júnior Araújo (Avante), não decidem nada.

Não sou eu que digo isso. Foram eles próprios que o afirmaram ao responderem nossa pergunta comum a ambos sobre qual caminho trilharão caso realmente se confirme o rompimento político entre o Governador João Azevêdo e o ex Ricardo Coutinho.

Em campos opostos na política cajazeirense Jeová e Júnior têm um ponto em comum nessa questão de rompimento no PSB: não decidem nada!

Para ser verdadeiro, serei literal.

“Deputado Jeová, caso o rompimento entre JA e RC se confirme, você já decidiu o caminho a seguir?”, pergunto via watssap.

“Não decido nada esse ano . Tenho tempo e não tenho pressa”, respondeu-me ele.

“Mas João Azevedo, caso confirmado o rompimento, deverá buscar um novo partido. Você o acompanha ou fica no PSB?”, insisti.

“Não decido nada esse ano”, reafirmou o rei do alho.

Com Júnior Araújo, a conversa foi:

“Caso não haja volta no convívio político entre o atual e o ex-governador, vc já decidiu o caminhar a seguir?”, indaguei.

“Caldeira. Eu não decido nada!”, respondeu ele a lá Jeová.

Voltei à carga:

“Você é deputado e da base, por isso meu questionamento. E se nessa condição se o amigo não decide nada, quem decide por vc?”, quis saber.

“O G11 decide coletivamente e democraticamente, como sempre foi! Temos um pacto desde fevereiro/2019 de decidir em conjunto nossas posições. Na condição de líder não seria coerente de minha parte decidir individualmente, somos um bloco, unido e coeso, daí a decisão passa pela cabeça escolha dos 11 (ONZE)”, respondeu Júnior.

Insisti:

“Para o G11 decidir em conjunto, há que cada um de seus membros se manifestar individualmente votando ficar com JA ou com RC. Qual será seu voto?”, teimei em indagar.

O silêncio foi a resposta.

Então, sabem o que significa a “indecisão” de ambos?

Medo. Isso mesmo, medo. Medo de que os litigantes políticos do momento saibam da decisão que individual e secretamente já tomaram mas não querem revelar publicamente!

 

* Fernando Caldeira (Jornalista/Radialista)