O ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB), atualmente sem mandato, disparou a sua metralhadora giratória contra o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB). Em sua verborragia, o tucano disse que tem asco da Corte e que ela “não apenas tarda, como também falha. Usa de dois pesos e duas medidas”.

O atraso no julgamento dessa Aije que causou a revolta de Cássio, referente ao ex-governador Ricardo Coutinho e a vice-governadora Lígia Feliciano, uma das reclamações do tucano, derrotado nas eleições para governador em 2014, foi causada pela própria acusação (coligação de Cássio e MPE) que pediu que fossem feitas diversas perícias causando atraso de quase dois anos no processo.

Cássio, apesar de pedir celeridade no julgamento dos seu adversários políticos, esquece que o inquérito que investiga um dos maiores escândalos das eleições da história da Paraíba, conhecido como o ‘Caso Concorde e o Dinheiro Voador’ se arrasta a quase 13 anos, ainda na fase de inquérito.

O político é citado ainda em delações de executivos da Odebrecht, Xeque-Mate e corrupção envolvendo títulos da Cehap. Reeleito em 2006 como governador da Paraíba, Cássio foi cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB) em 2007, decisão que foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) posteriormente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: paraibaja + REDAÇÃO