Educação cidadã – O prefeito Zé Aldemir tem comido broxa com arame farpado na tentativa de “convencer” alguns ambulantes que o local de trabalho dos mesmos não deve ser em cima das calçadas. Ao tentar, pessoalmente, resolver a questão com um vendedor de redes, instalado na calçada do Supermercado Primor, a temperatura ficou elevada e o confronto foi inevitável. Zé teria se exposto sem necessidade.

Educação cidadã –  A permanência do vendedor de redes no local tem deixado a administração numa “saia justa” diante da reação de outros ambulantes, que extremamente insatisfeitos querem voltar para a mesma calçada. O Ministério Público, responsável pela determinação de desobstruir as calçadas deverá “intervir” no caso. O vendedor diz ter um documento que a calçada é “patrimônio” dele e já tem advogado para defendê-lo.

Operação Andaime – Deverá acontecer em breve mais uma fase da “Operação Andaime” e novos nomes deverão ser incluídos, agora sob a batuta da Juíza Beatriz Ferreira de Almeida, que ocupará a vaga do juiz Diego Fernandes Guimarães. Vassoura nova na 8ª Vara e com gosto de ver tudo limpo.

Operação Andaime – Um dos réus da Operação Andaime anda triste e cabisbaixo depois de ver seus dois carros e uma moto terem sido leiloados, por determinação da justiça federal. Ele diz: “o pior de tudo isto é que a obra pela qual fui condenado, foi concluída e entregue a população de Cajazeiras, basta olhar a Praça Coração de Jesus, lutei muito para reaver meus bens, mas foi em vão”.

Zona Azul – Mais três ruas de Cajazeiras foram contempladas com a Zona Azul. Enquanto alguns comerciantes aplaudem a expansão, os usuários, na maioria comerciários que trabalham nas lojas do centro da cidade, estariam insatisfeitos por terem que colocar suas motos mais distantes dos seus locais de trabalho.

Zorra total – Esta semana foi pródiga e exuberante em fatos e futricas da política sucessória de Cajazeiras: de palavrão impublicável a beijos, abraços e carinhos aconteceu entre os figurantes do conturbado palco, onde os atores se apresentaram. Foi um verdadeiro samba do crioulo doido.

Zorra total –  As oposições ao prefeito Zé Aldemir foram as que produziram as melhores cenas que pareciam, no primeiro instante, que estavam “rachadas”, tendo os dois líderes principais: Carlos Antonio e Jeová Campos, através de seus liderados, enviados recados que a pancada do bombo era outra.

Zorra total – Ficou claro como a luz do dia, depois de uma conversa não tão amistosa entre o jovem médico Carlos Filho e o vereador Alysson Américo, que o candidato do peito de seu pai é o filho Carlinhos, que já está em Cajazeiras de mala e cuia para trabalhar no sentido de que seu “nome já está a disposição” do povo. Quer fazer história na política de Cajazeiras e seguir os caminhos de seus pais, Denise e Carlos, ambos ex-prefeitos de Cajazeiras.

Um olhar para a união – O ex-governador Ricardo Coutinho, que esteve no sábado em Cajazeiras para uma entrevista coletiva, proclamou em voz alta que quer a união das oposições, mas teria sido informado que o parto além de ser muito difícil, a criança se nascesse seria aos pedaços e esfacelado das entranhas.

O custureiro – O prefeito Chico Mendes, que circula livre, leve e solto entre os dois lados das oposições de cajazeiras tem tentado costurar um acordo, mas Jeová tem declarado que ninguém está autorizado a falar por ele. Chico, inclusive, deu umas “estocadas” esta semana no prefeito Zé Aldemir. Vale lembrar que a especialidade empresarial de Chico é o setor de costuras.

Alerta – O prefeito Chico Mendes, que teria uma reeleição garantida em São José de Piranhas, cuja administração tem sido muito elogiada, teria sido chamado num canto de parede e ouvido o seguinte alerta: “não transfira seu titulo para Cajazeiras porque você vai ser traído, aí nem mel nem cabaça”. A história registra um fato desta natureza em Uiraúna.

Favas contadas – Tem correligionário tanto de Zé Aldemir, quanto de Jeová que quer e está trabalhando para uma união dos dois em 2020, nas eleições para prefeito de Cajazeiras e estaria faltando apenas um detalhe: a língua de Zé Aldemir com relação a João Azevedo.