A promotora de Justiça, Ana Pordeus Gadelha, revelou, em entrevista à Rádio Correio da Serra, que ao longo dos quatro meses em que esteve de posse do processo que pedia a cassação do prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena (PSB), e de seu vice, Guga Aragão (DEM), sofreu “uma pressão muito grande” da coligação derrotada nas eleições de 2016 no munício, encabeçada pelo ex-vice-prefeito Mateus Bezerra (PMDB).

“Durante quatro meses em fiquei com esse processo e sofri uma pressão muito grande por parte da coligação de Mateus, que ia direto em busca desse processo, da advogada dele, pra eu entregar esse processo…”, revelou a promotora.

Douglas Lucena (foto) e Guga Aragão tiveram os mandatos cassados pelo juiz da 14ª Zona Eleitoral, Jailson Sizue Suassuna. Eles, no entanto, ainda não deixaram os cargos, já que a decisão oficial da Justiça só deverá ser publicada no próximo dia 6.

Em nota à imprensa, o prefeito informou que vai recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) e afirmou que os argumentos postos nos autos são frágeis juridicamente. Ele ressaltou, ainda, que a decisão não foi publicada oficialmente e, por isso, estranha a repercussão da notícia.

“Subverter a vontade do povo sem uma única prova documental ou qualquer testemunha nos autos, tendo uma mera presunção como base para qualquer decisão, é desrespeitar a escolha popular, é agredir o direito”, diz a nota.