Cássio cassado

Professor da UFPB, o cientista político José Henrique Artigas, publicou em sua conta no facebook crítica contundente ao senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado da República.

Para o professor Artigas, o senador Cássio usa dois pesos e duas medidas em sua vida pública.

Veja postagem:

“Artífice do GOLPE, Cássio Cunha Lima faz questão de esquecer que seu pai, criminoso confesso, utilizou de todos os artifícios legais para fugir de condenação após dar dois tiros em seu adversário político.

Elegeu-se para fugir do julgamento em 1ª instância, renunciou para fugir de julgamento no STF, morreu sem cumprir pena e sem ser julgado. É bom lembrar também que Cássio teve seu mandato de governador cassado por corrupção eleitoral, abuso de poder econômico e político, captação ilícita de sufrágio e conduta vedada a agente público ((TRE-PB – Representação nº 215/2006; TRE-PB – Representação nº 207/2006). Foi também condenado a pagamento de multa e teve seus direitos políticos cassados por 3 anos (TRE-PB – Representação nº 207/2006). Cássio também teve rejeitada prestação de contas referente às eleições de 2006 (TRE-PB – Prestação de contas nº 557204.2006.615.0000).

Hoje o senador é RÉU EM PROCESSO SOBRE IMPROBIDADE (TJ-PB – Comarca de João Pessoa – Ação civil pública nº 0028048-74.2009.815.2000). O senador recebeu 97,4% de recursos de empresas para sua campanha em 2014, entre elas: Alparagatas (R$ 2.762.849,26); Via Engenharia (R$ 1,5 milhão); Bradesco (R$ 2.673.000,00); Construtora Marquise (R$ 700 mil); Queiroz Galvão (R$ 500 mil); Santander (R$ 350 mil); OAS (R$ 300 mil); Bransken (R$ 200 mil); Andrade Gutierrez (R$ 200 mil); AMBEV (R$ 150 mil); AMIL (R$150 mil); Suzano (R$ 123.490,98); Votorantim (R$ 120 mil); Eurofarma (R$ 50 mil); Odebrecht (R$ 4.400 – mas não é este o número que consta da lista da empresa divulgada recentemente).

É gente boa, quando seu pai usou de todos os recursos para fugir da cadeia, que era o seu lugar devido, foi considerado lícito o uso de manobras protelatórias e deliberada intenção de alteração de foro jurisdicional.

Após ter contas recusadas pelo TRE Cássio não considerou a ação como crime de responsabilidade. Após ser cassado por corrupção e compra de votos, não entendeu tratar-se de crime contra a democracia.

Quando recebeu milhões das empresas investigadas na Lava Jato, não considerou estranho, mas defendeu a prisão de João Vacari, alegando que as doações legais para campanhas do PT eram usadas para encobrir corrupção, já aquelas para o PSDB não, foram todas lícitas. Pelo visto, para o senador, Chico não é Francisco. São estes os paladinos da ética que defendem o GOLPE. NÃO PASSARÃO!”