Cerca de 10 dos 15 prefeitos que pertencem aos quadros da AMASP (Associação dos Municípios do Alto Sertão da Paraíba) sediada em Cajazeiras, estiveram reunidos no começo da tarde desta segunda-feira 13, para discutirem um pacto em prol do hospital Napoleão Laureano, uma das referências em oncologia do nordeste, mas que está com suas finanças na UTI.

De acordo com as informações, diante do momento financeiro que atravessa a entidade, sua direção teria enviado um ofício ao prefeito José Aldemir, pedindo uma ajuda. Diante do pleito, Aldemir recorreu ao presidente da AMASP, o prefeito de Bom Jesus Roberto Bayama, que convocou os colegas para que o valor fosse dividido proporcionalmente entre os demais municípios.

Mesmo os gestores que faltaram ao encontro, de acordo com o presidente da entidade, sinalizaram positivamente. Para ele, o encontro foi muito proveitoso diante do compromisso de todos com a causa. O gestor revelou ainda, que mensalmente serão repassados cerca de 20 mil reais, que divido entre os mais 170 mil habitantes representa algo próximo a 0,12 centavos por pessoa.

Como não poderia ser diferente, a terra do padre Rolim, é a que mais repassará recursos para este fundo, pouco mais de 5 mil, já os menores valores giram em torno de 500 reais. Resta agora para a efetivação desta iniciativa, um aval do jurídico da associação para saber a melhor forma para esse repasse.

Outro tema que acabou entrando na pauta foi o fechamento da vara do trabalho em Cajazeiras. De acordo com o dirigente municipalista, no próximo dia 16 quando o TRT deverá deliberar sobre o assunto, seria importante a presença de grande parte de prefeitos para sensibilizar a Corte sobre a necessidade desse serviço, contemplando uma população de quase 200 mil pessoas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: folhadovale + REDAÇÃO